Caracterização

Âmbito

Incide sobre fatores de vulnerabilidade e de exclusão social que englobam as problemáticas da Educação, Formação, Orientação de Carreira, Empregabilidade (emprego e empreendedorismo) e acesso a serviços e recursos.

 

Objetivo

  • Desenvolver oportunidades de formação e de acesso ao mercado de trabalho de públicos mais fragilizados, promovendo uma atitude empreendedora.
  • Capacitar, requalificar e reconverter percursos profissionais, potenciando as valências e capacidades de pessoas em situação de desemprego para descobrirem novas perspetivas / saídas profissionais através das aprendizagens e experiências realizadas na oficina.

População-alvo

  • Pessoas com dificuldades de integração profissional, com baixos níveis de qualificação escolar e profissional, Jovens em risco de abandono escolar, Desempregados ou desocupados; residentes nas freguesias de Alcabideche e São Domingos de Rana, com especial enfoque nos bairros da Adroana, Cruz Vermelha e Alcoitão.

Território

  • O território de intervenção no qual se pretende concretizar este projeto, situa-se em Cascais, nomeadamente nas freguesias de Alcabideche e S. Domingos de Rana, que de acordo com os dados de Dez. de 2014 do IEFP, são aquelas que apresentam maiores níveis de desemprego e baixos níveis de escolaridade no Concelho. Cerca de 50% dos desempregados inscritos no Centro de Emprego de Cascais, residentes em Cascais, pertencem a estas duas freguesias. Num total de 9.973 desempregados/as, 2090 residem em Alcabideche e 2831 em S. Domingos de Rana.
    É ainda importante referir que é nesta zona do Concelho que se verifica a maior proporção de jovens desempregados. Como referido anteriormente a maior incidência de grupos de desempregados/as com menores qualificações encontra-se também nestas freguesias. Verificam-se ainda níveis de analfabetismo elevados e cerca de 55% das pessoas residentes neste território apresentam escolaridade inferior ao 9º ano.

Intervenção

  • Criação de uma oficina para realização de formações práticas em soft-skills e hard-skills (ofícios tradicionais) de forma a promover a autonomia financeira e reinserção profissional e social de desempregados de longa duração e jovens desocupados (reparação bicicletas, reparação de calçado, produção e restauro de mobiliário, produção de artesanato, etc).
  • Apoiar micro empreendedores que numa fase inicial podem utilizar gratuitamente os recursos disponibilizados na oficina para testarem produtos e/ou serviços bem como a viabilidade do seu projeto.
  • Disponibilizar à comunidade uma oficina onde podem aceder a diversos serviços a custos sociais, promovendo a longo prazo a sustentabilidade do projeto.
  • Criação de um espaço que promova a criatividade e a exploração artística que conduza à criação e produção de peças únicas, enquadradas num conceito de design social, podendo eventualmente ser explorada a hipótese de comercialização destes produtos.
  • A oficina REC estará disponível a todos os que queiram utilizá-la, desde seniores, estudantes, empresas, profissionais ou apenas curiosos, nos dias abertos á comunidade. Nos outros dias, será reservado para as atividades do projeto.

Impacto

  • Contribuir para o desenvolvimento de competências técnico-profissionais de 60 pessoas e para a (re)integração profissional de 20 pessoas.
  • Realização de diversos workshops para a comunidade nas área das oficinas.
  • Dinamização de um espaço multiusos com valências uteis, de fácil acesso à população e com benefícios diretos à comunidade
  • Incubação de Micro-iniciativas